terça-feira, 29 de março de 2011

Deus não te fez pra sofrer!


Todos estes sentimentos que agora te assolam a vida com pesar e tristeza não passam de provas engrandecedoras, que necessitas para nesta vida evoluir. A espiritualização da vida não deve ser tomada como um isolamento social, não implica em fingir que a dualidade não existe dentro de vós.
Espiritualizar-se não vos torna melhores nem mais merecedores. A espiritualização não lhes dá créditos para receber graças, mas para trabalharem em prol a união dos povos, para que se espalhe o amor no mundo e no coração de um de vós.
Tome consciência de vossa passagem nesta vida terrena, traga esta força que há dentro de vossos corações para o exterior e assim seguirão com paz, serenidade e resignação nesse percurso.
Ergam vossas cabeças, enxuguem as lágrimas, não deixe que a pena de vós mesmos os vitime turvando vossa visão do caminho. Queixar-vos da vida obscurece-a. Todo mal estar advêm somente de energias... Tome para sua vida energias transformadoras para que possam espiritualmente e materialmente assumir o que existe dentro de vós e quer limpar, transmutar, purgar... Para isso é preciso assumir que algo se passa convosco e que desejam trabalhar e curar isso, sem medo e sem culpas, sem complexos de serdes vós merecedores ou não.
Cristo viveu nesta pátria silenciosamente em um lar, com uma família, realizando a mais difícil experiência da vida familiar, com sua monotonia, sua simplicidade e acima de tudo sua necessária subordinação à vontade e necessidade de todos daquela casa,e nos deixou de exemplo suas lições, as quais todos devemos aprender. Enquanto não as houver aprendido, não podem progredir.
É vosso dever e obrigação viver como filhos de Deus, subordinados ao que o ‘destino’ vos coloca; não há nenhum outro lugar onde esta etapa seja possível. O lugar no qual se encontram é onde começa a vossa jornada, e dele não podem fugir.
Se não tiverdes êxito como verdadeiros filhos e seguidores onde vos se encontram, nenhuma outra oportunidade vos será oferecida até que consigam. Este é vosso teste e vosso campo de trabalho. Muitos crêem que se tivessem um casamento diferente, tivessem mais dinheiro ou mais tempo livre, ou tivessem melhor saúde física, quem sabe melhores feitos poderiam realizar.
Nada disso modificará quando vossas dificuldades aparecerem e se depararem com as situações obscuras desta passagem terrena.
Até que todos vós compreendam que esses momentos de provações são essenciais e se dediquem alegres e amorosamente a uma vida de trabalho e amor ao próximo que se inicia em vossos próprios lares, não poderão fazer nenhum progresso.
Trilhe os caminhos de vossa vida alegre e silenciosamente, sem autopiedade, nenhuma outra lição ou oportunidade vos será oferecida, antes de cumprires estas tarefas. Se faz necessário entender que vós mesmos são responsáveis por muitas das dificuldades que passam. Precisam caminhar silenciosamente com Deus, mantendo-se, como personalidades, em segundo plano; organizar as vossas vidas de tal maneira que possam viver como almas.
A vida de Cristo é a vida para ser vivida agora, eventualmente por todos nós. É uma vida de alegria e felicidade, de provas e de problemas, mas a sua essência é amor e o seu método é amor.
Busque para vossa alma somente a Harmonia e a paz que eleva a Sintonia completa do amor divino que vos envolve em todos momentos. Como criação perfeita de Deus podemos dar passagem da Luz, entendendo, compreendendo e praticando o Trabalho Divino.
Se a Harmonia e a Sintonia Divina, não estiverem dentro de cada um de vós, não conseguirão entrar em contato com Deus, não permitirão a elevação de vossa alma e espírito. É através de vossa espiritualidade que conseguirão entender aquilo, que antes não entendiam.
Quando se deixam invadir pela tristeza, as vibrações positivas são bloqueadas, impedindo seus contatos com a espiritualidade superior, daí advém a falta de vontade de agir, de mudar de evoluir e progredir provoca a descida do padrão vibratório a uma dimensão inferior, o que ocorre muito rapidamente.
Não existe um espírito que não consiga desbloquear e entrar na sintonia e harmonia. É só limpar e neutralizar toda e qualquer energia negativa, retirando os obsessores vivos e mortos, os verdadeiros e os criados por vós mesmos.
Mudando o vosso padrão vibracional, as pessoas mudam também o padrão delas para conosco. E isto funciona sem ter necessidade de alterar vossos relacionamentos, vosso emprego, ou qualquer outra coisa em vossas vidas como muitas vezes desesperadamente pensam..
Para onde passarem levarão vosso padrão, vossas energias, vosso amor e vossa Luz, e encontrarão as pessoas certas para os alimentar e compartilhar. Transmutes vossa energia, o vosso padrão que as bênçãos de cura aparecerão em vossa vida e em vosso corpo.
Utiliza os maus pensamentos e as más memórias a vosso favor, para que te fortaleçam e amadureçam, para serdes também mais e mais feliz.

PAZ E LUZ

Juliana : pelos espiritos "ALICE E ARAGON

original : 
http://evangelhonolar.ning.com/profiles/blog/show?id=2748093%3ABlogPost%3A21752&xgs=1&xg_source=msg_share_post

domingo, 20 de março de 2011

Esperança


Sempre haverá esperança 
Não importa a escuridão que predomine a nossa frente, encontraremos sempre o amparo do Alto a nos proteger nos momentos de aflição!
E é a Providência Divina que nos mostra o caminho quando tudo parece o fim.
“ Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” ( João 8:12) 
Se a dúvida instalou-se em nossa mente e ficamos com a sensação de buscarmos respostas sem encontrá-las, não é hora de abandonarmos nossos ideais, pelo contrário, esse é o momento de reforçarmos nossa fé e prosseguirmos!
Porque é optando por continuar a caminhada que se atinge novos horizontes.
“ Aquele que perseverar até o fim será salvo” ( Mateus 24:13)
Quando planos forem desfeitos e formos envolvidos por ondas de pessimismo, ao invés de alimentá-las, busquemos pela prece, verdadeiro remédio que alimentará a nossa alma e nos mostrará novos caminhos.
Porque a prece é nossa ligação com as forças do bem e essas estão sempre dispostas a nos auxiliar nessa grande jornada.
“ A tua fé te curou” ( Mateus 9:22)
Cientes de que um engano foi realizado, não nos envergonhemos, porque esse é o instante de reerguermos e passarmos a trilhar  uma nova estrada.
Não se conhece a renovação se nossos olhos permanecem presos às lágrimas do remorso. 
“ Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará” ( João 8:32)
Ansioso por recomeçar, não temamos as adversidades que possamos encontrar, mas confiemos.
Nenhuma mudança ocorre de imediato, mas o recomeço é sempre possível, desde que acreditemos em nosso potencial e no Pai que ampara cada um de seus filhos.
“ Buscai e encontrareis. Todo aquele que bate será atendido” (Mateus 7:7) 
E perante o cansaço físico ou o desânimo mental, não criemos o pensamento de que nada mais vale a pena, mas separemos alguns minutos para dialogarmos com Jesus.
Sim, o Mestre permanece de braços abertos pronto para nos envolver com seu imenso amor.
 “ Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei”
( Mateus 11: 28)
Assim, iremos reanimar nossas forças. Reencontrar a paz de espírito.  Despertar a chama da fé em nosso íntimo.  E compreender que mesmo com a pior prova a ser enfrentada, o caminho mais sinuoso a ser percorrido e a mais terrível tempestade que abala nosso equilíbrio espiritual, sempre haverá uma esperança a nascer diante de nós.
Esperança... Luz que voltará a iluminar nossa existência e nos mostrar que o Mestre permanece conosco.  E ao seu lado, não há o que temer, porque juntos sempre triunfaremos.
“ E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”
( Mateus 28:20)
Sigamos então com o Mestre e alcançaremos a única e verdadeira porta da salvação.
“ Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” ( João 14:6) 
Sempre haverá esperança...
“ Assim, resplandeça a vossa luz entre os homens”( Mateus 5:16)

Esperança!
Sônia Carvalho
20/03/11

quinta-feira, 17 de março de 2011

Médico de Almas


Médico de Almas

O menino Lucas nutria um grande amor por Rúbria sua companheira de brincadeiras.
Como cresceram juntos, Lucas acompanhou desde a meninice o precário estado de saúde da amiga.
Rúbria possuía a doença branca, e pouco se sabia na época sobre essa doença.
A enfermidade por vezes cedia, permitindo bem-estar a Rúbria por algum tempo, mas depois voltava, cruel.
Nas crises ela tinha terrível falta de ar e hemorragias pelo corpo. Muitas vezes Lucas a viu à beira da morte.
No entanto, houve um tempo em que a doença cedeu por vários anos. Durante aquele período o amor que Lucas sentia por Rúbria amadureceu.
Na época ele tinha aproximadamente 16 e ela 14 anos, e todos os planos da vida de Lucas incluíam Rúbria.
Lucas interessou-se pela medicina desde muito jovem e assim que estivesse pronto iria para a escola de medicina de Alexandria.
Mas, infelizmente, a jovem voltou a adoecer e depois de alguns meses de sofrimento físico ela morreu.
Naquele momento, toda alegria e serenidade, toda paz que Lucas sempre cultivara, se converteram em uma revolta sem tamanho, tristeza e dor indefiníveis.
Lucas sempre acreditou na existência de Deus, mas com a morte de Rúbria passou a sentir ódio de Deus.
Aquilo só podia ser uma maldição. Por que Deus levou justamente a sua amada, e com ela todos os seus planos de felicidades?
Como pôde Deus privar o mundo da presença de Rúbria?

Agora ela estava morta, perdida por toda a eternidade.

Lucas tornou-se inimigo de Deus e prometeu vingar-se, tamanha sua revolta, seu desespero, sua tristeza.
Decidiu medir forças com Deus. Toda vez que Deus tentasse levar alguém pela doença, ele iria curar esse alguém para que Deus não fosse vitorioso.
Mas Lucas tinha um coração amoroso, só estava ferido.
E apesar de sua briga com Deus devotou toda sua vida no auxílio aos desafortunados.
Mesmo tendo recebido muitas ofertas para trabalhar em Roma, a capital do império, ele preferia trabalhar como médico nos navios, pois sabia que deveria estar onde precisassem dele.
Mesmo magoado com Deus Lucas vivia as leis divinas. E por sua conduta e amor ao próximo acabou encontrando Paulo de Tarso, e através dele o consolo de que tanto necessitava.
A boa nova do Cristo acalentou o coração de Lucas, pois lhe mostrou a imortalidade da alma, a bondade e a justiça divina, a individualidade da alma, a possibilidade do reencontro com a mulher amada.
Quando o evangelho do Cristo abriu as portas do infinito ao jovem médico e lhe mostrou um Deus justo e bom, seu coração encontrou a paz que havia perdido com a morte da sua amada.
E Lucas passou a ser também médico de almas, aliviando corações dilacerados pela dor da separação, com o bálsamo do evangelho de Jesus.
 
Por sugestão de Paulo, o grande Apóstolo dos gentios, Lucas resolveu ser um divulgador da boa nova. Foi ele que escreveu o terceiro evangelho e os atos dos apóstolos.

Você sabia?


Você sabia que no início os seguidores do Cristo eram chamados “viajores”, “peregrinos”, “caminheiros”, e a comunidade deles se chamava “caminho”?

Por essa razão eram chamados “homens do caminho”.

E você sabia que foi Lucas quem sugeriu que os discípulos do cristo fossem chamados de cristãos?

Lucas, apesar da dor causada pela morte da mulher amada, não se entregou ao desânimo nem à depressão, mas foi à luta.

E foi com as mãos no trabalho que um dia ele encontrou o grande tesouro da sua vida: a certeza da imortalidade da alma.

Essa verdade que Jesus não só ensinou, mas voltou do túmulo para provar.

Autor

  • Momento Espírita

quarta-feira, 16 de março de 2011

Mudanças


   

                                                MUDANÇAS  
Necessário se faz uma mudança em nosso sentir e pensar para evoluirmos.
Como fazemos para aprender o Amor Universal?
E aquela pessoa que não suportamos, por ser chata, agressiva ou antipática?
Como amar aquele ser que faz tudo para “puxar nosso tapete” ou que até nos
prejudicou profundamente?
Comecemos pelos pensamentos.
Tire da cabeça o mal que aconteceu. É passado, não volta.
Relembrar fatos ruins da vida é guardar carne podre na gaveta. Vai sempre
cheirar mal. Jogue tudo fora.
Areje a mente.Pense: “ele (ou ela) é filho de Deus. Veio da mesma Fonte que nós. Eu posso
odiá-lo ou desprezar, mas o Criador o ama, portanto, estou fora de rumo, tenho
que mudar o sentimento lembrando que o “outro” (a) que nos prejudicou fez
com a permissão de Alguém superior para que eu aprendesse alguma coisa. Ninguém cruza nosso caminho senão para nos ministrar uma lição.Ao invés de odiar, desprezar ou nos vingarmos procuremos entender o porquê de essa pessoa ter sido posta em nossa vida.É mais comum do que pensamos criaturas que passam a freqüentar um lugar, seja na profissão, por estudos, trabalho de ordem espiritual como num centro ou outro; estas pessoas não se adaptarem por causa de normas, colegas ou motivos diversos. Vão à busca de um local que ache mais adequado ao seu gosto ou modo de pensar. Mas por não encontrarem o lugar certo vivem insatisfeito (a) e se deprimem.
Claro que devemos buscar ambiente mais afim e selecionar o melhor. Só que sempre procurando entender porque será que não encontramos o que buscamos? Será que Deus em sua grandeza não colocou nada certo em nosso caminho? Estaremos muito exigentes com o proceder das pessoas?
Será que não estamos exigindo condutas perfeitas nos outros que ainda não conquistamos?
O ideal seria procurar se adaptar ao ambiente, procurando lembrar que em todo lugar encontraremos pessoas com quem não afinamos. Notando pessoas agindo de forma inadequada, vamos nos perguntar se faríamos melhor no lugar delas?
Busquemos analisar o porquê não nos adaptamos ao ambiente.
Busquemos analisar o porquê não gostamos das pessoas.
Busquemos analisar o porquê não encontramos o que procuramos se, em tudo,achamos que algo está errado.Quando tudo está falho ao nosso redor é porque o erro está em nós.
Partindo do princípio que toda vida é programada e as tarefas idem, então algum lugar nos está reservado na terra para cumprirmos esta programação.Somos colocados nos ambientes onde precisamos aprender, seja família, trabalho material ou espiritual, escola, cidade ou círculo de amizade.
Todos temos um guia na parte espiritual que está sempre solícito ajudando nas escolhas do que é melhor para nós, mas se estivermos com muita dificuldade para aceitar é porque algo vai mal a nossas observações. Lembremos que tudo na vida são lições, testes de paciência e tolerância.
Para merecermos locais de trabalho com tudo que gostamos precisaremos ter merecimento. Não podemos receber o que não damos.
Talvez aquele local onda haja normas muito rígidas ou pessoas muito imperfeitas sejam ferramentas para que possamos aprender algo relacionada a certas imperfeições nossas.
Enxergamos muito bem as falha de fora, mas somos cegos para as de nosso interior.
Modifiquemos nossos pensamentos e modificaremos o mundo a nossa volta.
“SE SEUS OLHOS FOREM BONS TODO SEU CORPO TERÁ LUZ”
Miryã Kali
fonte : http://blig.ig.com.br/portalmirya/2009/09/08/mudancas/

domingo, 13 de março de 2011

A importância do autoperdão

A importância do autoperdão

A importância do autoperdão

por Andre Lima - andrelimareiki@gmail.com

De vez em quando, escrevo um artigo sobre o tema do perdão. É um assunto muito importante e que certamente se encaixa para a vida de qualquer pessoa. Esse tema é frequentemente citado por muitos, mas normalmente é explicado de forma superficial e, por isso, a maioria das pessoas não compreende a sua importância. Gosto de explicar os sentimentos de forma bem prática, expondo as conseqüências negativas de  se guardá-los, mostrando como eles acabam sabotando a nossa vida de uma maneira que não enxergamos.

É certo que todos nós já cometemos erros no passado e, mais certo ainda, que cometeremos vários outros até o final das nossas vidas. E é bastante comum depois de cada erro cometido surgirem sentimentos de raiva de si mesmo,  culpa e arrependimento. Não bastasse o prejuízo causado pelo erro cometido, a nossa mente começa a criar uma negatividade adicional remoendo nossos erros em diálogos mentais carregados de emoções que nos causam sofrimento. Você pode começar a dizer mentalmente para si próprio: "Eu fui muito burro! Como pude permitir isso? Como posso cometer o mesmo erro tantas vezes? Se arrependimento matasse...  Se eu pudesse voltar no passado... Quanto sofrimento me causei.  Quanto sofrimento causei para outras pessoas. Parece que eu nunca vou aprender. Eu mereço mesmo é sofrer".

Quem nunca teve diálogos consigo mesmo nesse teor? São falas mentais do ego que revelam culpa, raiva, arrependimento, tristeza, mágoa de si mesmo e necessidade de autopunição.

Esses sentimentos surgem como uma forma de nos fazer aprender algo para que a gente não repita o mesmo erro. Através do sofrimento, algumas pessoas aprendem importantes lições. No entanto, é importante entender que não é preciso sofrer para aprender. O ego é mestre em criar sofrimento e justificá-lo para que você acredite que é realmente necessário carregar tudo aquilo. O importante, na verdade, é reconhecer o erro, aprender com ele e seguir em frente. Assim, o sentimento negativo torna-se desnecessário pois o único objetivo do sofrimento é trazer aprendizado. Por isso, o ideal seria que aprendêssemos rapidamente após um erro e que, ao mesmo tempo, soltássemos os sentimentos negativos. Uma frase que poderia resumir esse padrão mental seria: Sempre que cometo um erro, eu aprendo o que posso, me perdoo, e sigo em frente.  

No entanto, o padrão mental que a mente carregada de negatividade cria é como se dissesse o seguinte: "Sempre que eu erro, eu fico com muita raiva de mim mesmo, me culpo, sinto arrependimento, me causo bastante sofrimento, pois quem sabe assim eu deixo de ser essa besta quadrada e começo a fazer algo na vida que preste". A mente é um juiz muito severo, se você der atenção e energia para esses pensamentos. E quantas pessoas não carregam esses pensamentos e sentimentos durante uma vida inteira?

A raiva de si mesmo e a culpa aparecem como uma forma inicial de autopunição. Como posso cometer um erro e sair com a consciência tranqüila? Preciso sofrer para pagar pelo erro e aprender! É o que diz o ego inconscientemente. Além dessa punição inicial que nos impomos, vamos dar um jeito de nos castigar ainda mais, também de  forma inconsciente. Esse é um mecanismo doentio de provocar sofrimento para si próprio para "aliviar a consciência". Tem relação como o texto anterior que escrevi sobre "A busca inconsciente pelo sofrimento"  Conforme já expliquei em outros artigos,  as emoções negativas têm vida própria, desejam sobreviver e se alimentar. Sendo assim, a raiva vai procurar criar novas situações para que você sinta raiva de si mesmo. A culpa vai criar situações para que você se sinta mais culpado. Tudo acontecendo de forma silenciosa no seu interior, influenciando seus pensamentos e ações, e causando um grande estrago nas nossas vidas. E a cada nova situação que surge, a emoção negativa lhe convence que ela está certa em estar ali criando aquele diálogo mental severo.

E como seria essa autopunição inconsciente? Vem em forma de atitudes negativas com relação a você mesmo: perda de oportunidades, preguiça e falta de coragem para fazer coisas que poderiam melhorar a sua vida, surgem sentimentos de não-merecimento, vontade de comer em excesso prejudicando a própria saúde, escolhas erradas nos relacionamentos e na vida profisisonal e etc..

Dessa forma, o sofrimento que, na teoria, surgiu  para que você aprendesse e cometesse menos erros, acaba levando você a se punir, e assim cometer mais erros trazendo mais sofrimento para você e para pessoas próximas.

Entender esses mecanismos pode fazer com que você solte a negatividade e se perdoe mais facilmente, pois agora é possível compreender as razões egóicas inconscientes e sem fundamento que estávamos usando para nos manter apegados aos sentimentos negativos.

Entretanto, mesmo sabendo disso racionalmente, é provável que ainda seja difícil se perdoar verdadeiramente, sem ser apenas da boca pra fora. Assim, nós podemos usar a 
*EFT (técnica para auto-limpeza emocional, veja como receber um manual gratuito no final do artigo) para conseguir essa liberação de uma forma infinitamente mais rápida e profunda para que você sinta verdadeiramente o autoperdão, e que não seja apenas algo do conhecimento intelectual. No próximo texto vou dar mais detalhes de como usar a EFT para chegar a esse resultado, com instruções mais específicas e exemplos de frases a serem utilizadas.

Os pontos que espero deixar claro nesse texto são os seguintes. 
1) O sofrimento causado pelos erros serve apenas para gerar aprendizado. Por isso, reconheça o erro rapidamente, aprenda rápido e solte a negatividade. O ideal é aprender sem precisar sofrer 

2) O ego e as emoções negativas que estão em torno dele vão tentar lhe convencer a todo custo a manter o sofrimento, pois cada emoção deseja sobreviver e se alimentar.

3) Carregando esse sofrimento, você tenderá a se autopunir, e isso trará mais sofrimento para a sua vida e para a vida de outras pessoas. Resumindo, não há qualquer vantagem em não se perdoar, pelo contrário, mais sofrimento é gerado.

André Lima - EFT Practitioner, Terapeuta Holístico, Mestre de Reiki e Engenheiro. 

*EFT - Emotional Freedom Techniques - É a auto-acupuntura emocional sem agulhas. Ensina a desbloquear a energia estagnada nos meridianos, de forma fácil, rápida e extremamente eficaz, proporcionando a cura para questões físicas emocionais. Você mesmo pode se auto-aplicar o método. Para receber manual gratuito da técnica e já começar a se beneficiar, acesse: http://www.eftbr.com.br/manual-gratuito.asp e baixe o seu manual. Veja também sobre cursos, atendimentos terapêuticos online e muito mais.

Fonte: www.stum.com.br

quinta-feira, 10 de março de 2011

Eficácia da prece.MP4



"Seja o que for que peçais na prece, crede que o obtereis, e vos será concedido."
(Marcos, 11:24)